MINÉRIO DE FERRO DE ALTA QUALIDADE AVANÇA EM DIREÇÃO AOS US$ 100

By 19 de setembro de 2018Notícias
O minério de ferro de alta qualidade teve uma forte alta e seu preço atingiu o maior patamar em um ano em meio à intensificação do combate à poluição na China. O rali oferece uma recompensa para mineradoras como a brasileira Vale e contrasta com os prejuízos de outras matérias-primas devido à guerra comercial entre EUA e China.

“Tudo isso se deve aos cortes realizados para o inverno”, disse Ian Roper, chefe de negócios internacionais da Shanghai Metals Market, na segunda-feira, em referência à restrição no país que é o maior produtor mundial de aço. A tonelada do minério à vista com 65 por cento de teor ferroso atingiu US$ 96,80 na sexta-feira, maior nível desde setembro de 2017, segundo a Mysteel.

As qualidades superiores do minério de ferro têm se beneficiado pela repressão maior das autoridades à poluição porque as restrições estimulam a demanda por minérios de melhor qualidade, que são mais limpos e eficientes. As autoridades da China continental vêm intensificando as inspeções ambientais de usinas e minas locais nos últimos meses e deverão ampliar os limites ao aço no próximo inverno. Por enquanto, isso vem ajudando importantes produtoras de minério de ferro como Vale, BHP Billiton e Rio Tinto.

“As siderúrgicas terão uma restrição na produção, mas sua rentabilidade é realmente elevada, por isso elas estão concentradas na produtividade e na redução das emissões”, disse Roper, acrescentando que o minério de alta qualidade pode subir e ficar acima dos US$ 100. Com a situação na China, os usuários “continuarão em busca de alta qualidade e carga direta”, disse, em referência ao minério que pode ser usado diretamente para alimentar os fornos.

Os aumentos do minério de ferro — subiu também o minério de referência, com 62 por cento de teor ferroso, para US$ 69,30, maior patamar desde o início de agosto — contrastam com os declínios dos últimos meses dos metais de base, especialmente do cobre. A disputa comercial entre EUA e China estimulou o temor com possíveis problemas de demanda.

Apesar da alta volatilidade dos preços do aço na última semana devido a sinais não oficiais e conflitantes a respeito da severidade das futuras limitações no inverno, as restrições deste ano ainda estão estimulando a busca por qualidade, segundo Roper. “As metas são bastante claras”, disse. “Eles querem o ar mais limpo do que no ano passado, o que significa que não podem relaxar muito, mas há muito mais isenções neste ano.”