MATRIZ: Av. Amâncio Gaiolli, 1065 | Guarulhos/SP

|

FILIAL: Av. Marginal José Osvaldo Marques, 2032 Sertãozinho/SP

Atividade industrial volta a crescer no Brasil

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria no Brasil, sazonalmente ajustado, voltou a ficar acima da marca neutra de 50,0 e atingiu 51,6 em junho, informou a consultoria IHS Markit. Isto, comparado com o patamar de 38,3 observado em maio, representou o primeiro mês de crescimento registrado pela pesquisa desde fevereiro.

A pesquisa de junho para o setor industrial brasileiro indicou um retorno ao crescimento tanto para o volume de produção quanto para o de novos pedidos, com os negócios começando a se recuperar dos efeitos adversos da pandemia de coronavírus, é a visão do relatório.

Otimismo para o futuro

O grau de otimismo em relação ao futuro também se fortaleceu nitidamente, atingindo um recorde de alta de quatro meses. Contudo, as evidências de um persistente excesso de capacidade no setor foram menos positivas, já que as empresas permaneceram firmemente em atitude de retração, cortando a quantidade de compras e reduzindo o número de funcionários.

O retorno à expansão dos volumes de produção e de novos pedidos foi o que sustentou o PMI. Os entrevistados pela consultoria comentaram que as empresas estavam voltando a operar e que a demanda aumentara. Contudo, o crescimento foi principalmente em nível interno — já que as vendas para exportação continuaram a cair — e os entrevistados continuaram a mencionar que os volumes de novos negócios permanecem, de um modo geral, extremamente baixos quando comparados com os observados antes do início da pandemia.

Diminuição de custos nas empresas

As empresas continuaram a cortar tanto os níveis de empregos quanto a atividade de compra, embora a taxas mais baixas do que no mês anterior, informam as pesquisas. As empresas indicaram uma necessidade de reduzir os custos nas suas fábricas, tanto os relativos à quantidade de compras quanto ao número de empregos, com o objetivo de aumentar a produtividade, ou utilizar estoques existentes na produção sempre que possível.

Os estoques de insumos foram cortados pelo nono mês sucessivo em junho, ao passo que houve uma modesta queda nos produtos armazenados pelo décimo mês consecutivo. As pressões de custos se intensificaram em junho. Apesar desse cenário não ser o melhor, é um dos modos que as empresas estão seguindo para se manter.

Em meio a projeções positivas para a demanda e para as vendas nos próximos 12 meses — tendo em vista as expectativas de uma retomada das atividades econômicas —, o grau de otimismo no futuro melhorou em junho, atingindo o seu nível mais elevado desde fevereiro.

Tubos de aço a pronta entrega com a Tubos Oliveira

Notícias boas em meio a uma onda de problemas é esperançoso, ainda mais quando se trata de crescimento das indústrias do país! Apesar da crise, as empresas estão começando a se reerguer, portanto, a demanda por aço voltará a crescer. Precisa de tubos de aço para sua empresa? Conte conosco, nosso estoque é um dos maiores do país! Aproveite e entre em contato agora mesmo.

Ícone do Whatsapp branco em fundo verde

Olá!

Gostaria de receber uma ligação?

NÓS TE LIGAMOS
Informe seu telefone que entraremos em contato o mais rápido possível.
Gostaria de agendar e receber uma chamada em outro horário?
Deixe sua mensagem! Entraremos em contato o mais rápido possível.
LIGAR CONTATO